Arquivo mensal: agosto 2010

Meu querido diário…

Vamos falar sobre esse fim de semana. Antes de mais nada: Não estava em condições psicológicas de fazer o Domingo da Marina. Já Já explico o porquê. Vamos do início…

Era um lindo sábado, e tinha acabado de receber a recenseadora (Ui, sou recenseadora. É assim que escreve?) do IBGE. Eram apenas 17:00, então vim para o computador e fiquei olhando para a tela.

O item do Microsoft Word saltou aos meus olhos.

Foi então que percebi que terminaria Supernova naquele fim de semana.

Comecei a escrever o início do penúltimo capítulo, Queda, e só parei às duas da manhã, vencido pelo cansaço e pela tristeza de ter de dar adeus à serie que marcou inegavelmente a minha vida.

Dormi, acordei 10:00 no domingo com um suborno da minha mãe:

Filho, passa a roupa para mãe? Te dou uma Coca dois litros.

Como dizer não à sua mãe? Passei a roupa (esqueci de um detalhe: ela só me subornou assim porque no dia anterior ela viu como eu estava compenetrado escrevendo e tomando Coca. Ela me assustava dizendo palavras como úlcera ou coisas assim).

Sim, meu vício enquanto escritor é Coca-Cola. Não é cigarro (eca!) nem bebidas. Minha paixão é a minha nega ♥ HAHAHA.

(Morrendo de rir com o apelido que dei para o refrigerante. Refresco, como diria meu primo).

Que post pessoal, não? Enfim…

Retomei à escrita lá pelas 14:00, após um delicioso almoço com a família inteira. Tias, primos, cachorros… E comecei o derradeiro capítulo. O Fim. Sim, esse é o nome do capítulo mesmo, não é O Fim mesmo. Digo, sim é O Fim, só que… AH! Vocês entenderam.

Epílogo. Meus olhos se encheram de lágrimas. Hallelujah na voz da Kate Voegele ao fundo e as últimas duas páginas do mais importante livro que já vi estavam sendo escritas.

Última frase.

E a maior aventura da vida de Sarah Lambert chegava ao fim.

Pronto. Me A-C-A-B-E-I. Lágrimas, soluços e gritinhos desesperados. Meu pai apareceu aqui no quarto desesperado. “O que aconteceu, filho?!”, perguntou, todo preocupado.

“A S-S-S-S-arah a-c-c-c-c-c-abou!”, solucei.

Ele saiu do quarto e fiquei sozinho. Nem me deu bola.

Mas aquele ponto final me encarava, tristonho, sozinho.

E foi então que percebi o quanto certos pontos finais eram necessários na nossa vida. Eu lembro quando terminei Colisão, e ainda não tinha um enredo sequer para Supernova. Estava desesperado. Mas pouco a pouco a estória foi surgindo na minha cabecinha (cof, cof. Isso aqui mais parece uma jaca!) e as primeiras linhas de Alice e Sarah foram escritas.

Mas… chegou ao fim, sabe?

Refrão de Hallelujah não está ajudando muito neste momento…

É triste, e ao mesmo tempo alegre. Tipo, UAU! Terminei meu quarto livro, e você? Não, eu não escrevi nenhum. Entendem? Mas eu não estava pronto para dizer adeus à Sarah, ao Lynx, Polaris, Aurea, Pyxis e à pobre Lyra, que me abandonou tão precocemente.

Aleluia, Kate Voegele. Aleluia! Deus te abençoe. HAHA.

Mas agora é um adeus mais alegre. É um adeus com cheiro de “vocês estarão sempre dentro do meu coração.” Adeus, meus queridos. É com imensa alegria que derrubo estas lágrimas, sabendo que cada um de vocês cumpriu sua missão com grande competência.

Fim de uma grande fase da minha vida.


E, não, ainda não decidi qual livro irei escrever agora. Tenho suspeitas, mas nada confirmado. Prometo que vocês serão os primeiros a saber logo após eu decidir…

Mas como nem todo adeus é para sempre…

UMA EDITORA ME CONTATOU E QUER UMA CONTINUAÇÃO PARA SUPERNOVA!

Brincadeira, é mentira. Só para descontrair.

Agora, sério:

Cheguei da escola hoje, todo de barriga cheia, e limpei a área, o banheiro, a lavanderia… Enfim, limpei a casa. 14:30 recebo um telefonema, de Guarapuava. Era um tal de Edson, querendo falar comigo. Ele era todo tímido, coitado. Enfim, o telefonema era do CCBEU – Centro Cultural Brasil Estados Unidos. Pelo menos eu ACHO que a sigla significa isso.

O telefonema era sobre minha inscrição no programa Jovens Embaixadores 2011, onde os vencedores ganham uma viagem de 3 semanas para os Estados Unidos, com direito à mini-estadia na Casa Branca. Bem, e é com imensa alegria que venho compartilhar com vocês…

EU FUI UM DOS SELECIONADOS PARA A TERCEIRA FASE!

Agora, dia 10/09 irei para Guarapuava fazer uma prova oral e outra escrita para continuar com o programa. Não é simplesmente mágico? O Edson ficou assustado com eu perguntando:

“É sério?”
“É!”
“Mas sério mesmo?”
“É!”
“Tem certeza?”

HAHAHA! Só eu, Senhor! Quem vai torcer por mim?

Ah, e outra coisa: por que estou postando essas coisas aqui? Porque há uns meses atrás, quando postei sobre minha presença na final do Concurso Jorge Amado (lembram?) houve algumas pessoas que comentaram: acha meeeesmo que vai ganhar? Vai ficar em último!

E, ham, fiquei em segundo lugar em todo o Estado, ganhei livros lindos da Companhia das Letras (♥), dinheiro, além de uma estadia maravilinda num hotel 5 estrelas lá em Curitiba! Conheci até os Bee Gees (quem liga? HAHA).

A questão é: Não se deixem abater quando falarem que vocês não são capazes. Simplesmente se deixem ofender, ouçam o que devem escutar e esperem o mundo dar uma volta. Tudo terá mudado. Quando você sentir que nada está como você planeja, espere.

A vida é aquilo que acontece enquanto fazemos planos! Conhecem o ditado?

É com muita alegria que termino esse post, prometendo que no próximo domingo haverá um Domingo da Marina duplo! E quem está me xingando porque estou fazendo propaganda política no blog, saibam de uma coisa: o blog é meu. HAHAHAHAHA. Brincadeira, vocês são lindos.

Um beijão, leitores e leitoras.

Supernova também é de vocês.

P.S.: Pelo amor de Deus, tenham compaixão e comentem neste post!

Antes que eu me esqueça:

Anúncios
Etiquetado ,

Eu quero muito: Livros!

Senhor, arranjai-me dinheiro porque estou prestes a falir. HAHA.

É sério, gente. Ensino Médio não é fácil. Você gasta com vestibular, excursões, com isso, com aquilo, com aquilo outro, e quando ver… MÃE, ME DÁ UM REAL? Brincadeira. HAHA. Não, é sério.

Mas como sonhar não custa nada, eis aqui uma lista de livros que eu quero muito. Então, se você tem algum, me mande um e-mail se dispondo a doar. Sim, isso é uma ordem. HAHA. douglas.autor@gmail.com, só por via das dúvidas. HAHA.

1º Lugar – Comprometida, de Elizabeth Gilbert.

A “continuação” de Comer Rezar Amar parece ser i-r-r-e-s-i-s-t-í-v-e-l. Agora é sobre o casamento de Liz e o brasileiro Felipe (José, na vida real. HAHA), e como eles estão lidando com tudo isso. Eu preciso dizer que TENHO de ler?

2º Lugar – Todos os Homens são Mortais, de Simone de Beauvoir.

Indicação do professor de física do cursinho. E, como todos sabem, não perco uma boa indicação literária. Sei que o livro é sobre um cara que a partir de uns séculos atrás, começa a viver eternamente. Tipo, aí vai mostrando o passar do tempo com ele, e tudo mais. Meu professor me adiantou que o livro termina com um rato na história. HAHA.

3º Lugar – Destrinchando, de Julie Powell

A autora de Julie & Julia está de volta, graças aos céus! Agora ela fala sobre uma paixão arrebatadora e sobre o… corte de carnes. Não sei como isso pode combinar, mas combina. O livro foi lançado no Brasil pela Editora Record (♥) e eu o encontrei na Nobel, num de meus passeios cotidianos. Preciso dizer que surtei?

P.S.: A capa em alto relevo fez eu querer o livro mais ainda. Tenho meio que um… tombo por capas em alto relevo.

5º Lugar – Quinta Avenida Nº 1, de Candance Bushnell.

Sou um grande fã de Sex and The City, mas nunca tive a oportunidade de ler os livros. Momento de tristeza. Mas quando vi o livro com sua linda capa reluzente e repleta de cores glamurosas, eu só disse uma coisa: eu quero! Depois de ver o preço, disse outra: não quero mais, também. HAHA. Sério, gente, livro bom precisa ser tão caro? 60 reais é MUITO dinheiro para um jovem que deve mais que uma nação africana. HAHA.

Beijos, beijos. E, por favor, me deeeeeeeem um livro destes. Ou todos. Vocês quem sabem.

Se lembre:


Etiquetado ,

Eu vi: Meu Malvado Favorito

Já cheguei no cinema rindo. Vejam só o lindo banner/pôster/sei-lá-o-quê de divulgação que estava logo na entrada. Eu comecei a rir igual a um idiota. Bã.

Ingressos comprados, Camila do meu lado, e lá vamos nós. Atrás de mim, senta-se um menininho de três ou quatro anos. Já senti: Com eu e ele, ninguém ia assistir filme nenhum.

Meu Deus, como eu ri! Os Minions roubam a cena completamente. A dublagem é perfeita (sou chato, não assisto filme de animação legendado) e o Leandro Hassum como Gru ficou muito joia! Recomendo, recomendo, recomendo.

Acho que o ápice das risadas foi quando os Minions começaram a cantar no karaokê. Eu não sei quem ria mais. Eu ou o menininho. Chegou um ponto que as pessoas riam de nós dois, e não do filme. Não vou encher vocês de spoilers, mas vocês devem assistir. Edith, Agnes e Margo são as coisas mais fofas da história do planeta. E aquela dona do orfanato é uma vaca. Caixinha da vergonha para ela. HAHA.

Assistam, juro que não vão se arrepender.

WHAAAAAAT? HAHA!

E, para quem já assistiu: Tó pa tu.

HAHAHAHAHAHAHAHA.

Lembrem-se:

Etiquetado ,

Vote Marina: 43!

As eleições se aproximam. E o Blog do Doug entra oficialmente em sua campanha presidencial. Marina Silva, 43!

Uma vez por semana, eu, Doug, autor deste blog, irei falar sobre as vantagens de se ter Marina como presidente. Além de nunca ter tido nenhuma acusação de corrupção (a própria revista Veja a definiu como “Vejam só, uma política honesta!”), Marina volta seu plano de governo para muito além da esfera ambiental.

Todo domingo será o Dia da Marina. Falarei sobre seu plano de governo e sua biografia, além de responder perguntas que você, leitor, pode me fazer nos comentários ou de amigos que me encontram por aí.

Acostumem-se a ver, durante a semana, o banner da Marina no final dos posts. Domingo é o Dia da Marina, mas todo dia é dia da conscientização política.

Sou jovem, esta é minha primeira eleição em que realmente ajo ativamente. Chega de simplesmente engolirmos o que gerações supostamente mais inteligentes têm para nos dizer. Não é eloquência. Não é rebeldia. É desejo de ver o Brasil melhorar.

Para um Brasil em harmonia com o Meio Ambiente, Marina Silva presidente!

Você pode ter uma boa educação, uma boa saúde e segurança. Mas faça isso com a natureza agindo contra você. Você conseguiria?

Para terminar esse nosso primeiro Domingo da Marina, vamos dar uma olhada num vídeo que explica essa história de forma mais clara!

Vocês já sabem! Marina Presidente! Vote 43!

Encontrem a Marina clicando ali na barra lateral, na guia Marina & Você.

Etiquetado ,

Ando devagar…

Não houve tardes perdidas na escola
Não houve cadernos muito utilizados
Houve, contudo, domingos bem aproveitados
Churrasco e família misturados
Brincadeiras e amigos, agora apenas lembrados

Houve sertenejo, forró
Músicas nordestinas junto ao colo da vó
Causos e acasos ao lado do fogão de lenha
Houve também, o despertar
O levantar-se da cama num horário jamais estabelecido
Nunca compreendido
Apenas respeitado.

Havia chuva, tardes indeléveis
Cobertores e televisão funcionando como remédio
Para o pior tédio
Comida, bebida, pipoca
Saudades, memórias, um pouco de Coca.

Havia sorrisos, havia brincadeiras
Desejo de crescer, não ser assim a vida inteira
E, vejam só a ironia
Agora tudo o que queremos é ser
A criança que fomos um dia.

Etiquetado

Vale a pena ler!

Vamos falar hoje dos três últimos livros que li e do que estou lendo agora, com suas ressalvas e recomendações! HAHA!

Primeiramente: Eu Mato, de Giorgio Faletti.

O livro foi lançado no Brasil pela editora Intrínseca (♥), e é o primeiro livro do italiano Giorgio Faletti a ser lançado aqui em terras tupiniquins. A eletrizante estória se passa em Mônaco, sempre badaladíssima e chiquérrima (Clodovil Moment).

Um serial-killer mata “aleatoriamente” e transfigura o rosto de quem mata, retirando toda a pele que recobre as lindas faces destas vítimas. Começa com Jochen Welder e Arijane Parker, um piloto de Fórmula 1 e uma jogadora de xadrez profissional. Enfim! O livro começa chatinho, mas, conforme você vai lendo, ele começa a atingir um nível de maturidade surpreendente. E você vê que aquilo que era chato no começo, foi extremamente necessário para dar esse final de tirar o fôlego.

Terminei de ler numa madrugada de sábado para domingo, lá pelas quatro da manhã. (Sim, eu fico em casa no sábado. HAHA)

E o outro, e meu favorito dos três, Julie & Julia, de Julie Powell.

Acho que todos já sabem o quanto sou fã do filme, e contei o enredo dele váááárias vezes, mas o livro, adivinhem: é ainda melhor! Sim, senhores, isso é possível!

A desesperada Julie Powell decide cozinhar as 524 receitas de The Mastering Art of the French Cooking (não, não tive que googlar. Eu sabia de cabeça mesmo, mesmo), da chef tardia, Julia Child, para tentar “dar um jeito” em sua vida. Contudo, ela tem de cozinhar estas quase 550 receitas em 1 ano. Sim! Praticamente duas receitas por dia. E devo dizer: Boeuf Bourguignon parece ser absolutamente delicioso! HAHA! Quando publicar Nebulosa, cozinho um prato de Julia Child e ofereço para vocês, tá?

Hei, onde vocês estão indo? Por que estão indo embora? HAHA. Brincadeira.

Para terminar: O Ladrão de Raios, de Rick Riordan.

Um livro bom. Li em menos de dois dias, graças ao enredo agradável. Contudo, para quem espera um novo Harry Potter… bem, continue esperando. HAHA. Riordan é um mestre neste estilo de escrita infanto-juvenil, mas titia Rowling está imbatível.

O livro fala sobre Percy Jackson, que se descobre como filho de Poseidon e tem de enfrentar muitos inimigos para conseguir um raio que foi roubado de Zeus. Mas não é um raio qualquer: é O raio. Uhhhh… Estão com medo? Não? Nem eu. HAHA. Mas o livro é ótimo, vale a pena ler. Continuarei lendo a sequência, Mar de Monstros.

E, finalmente, o livro que estou lendo agora: Crime e Castigo, de Fiódor Dostoiévski.

Uma estória… Uau! Bom, que tal deixarmos para comentar a estória DEPOIS que eu tiver terminado de ler? (Estou lendo a edição recente, lançada pela Abril Coleções, e, meu Deus, a Abril está cada dia melhor!)

Adianto só uma coisinha: o livro é sobre um (ou seria melhor dizer dois?) assassinato cometido por Raskólnikov sob o pretexto de: matar um mau para ajudar cem bons, vale a pena. Ou seja: Filosofia na veia! HAHA. Brincadeira. A narrativa é impressionante, cheia de detalhes que tiram o fôlego de atletas profissionais.

Recomendo todos!

Um beijo do Doug, tchau!

Etiquetado

Eu vi: Up!

Hoje eu vim falar sobre um dos filmes mais fantásticos que assisti nos meus últimos tempos! HAHA! Português corretíssimo, eu sei.

Mas, céus, esse filme é absolutamente enebriante. Uma história repleta de lições intrincadas nas mais gostosas gargalhadas que você pode dar. Quando a casa do Sr. Frederixen (é assim que escreve?) começa a voar, prepare-se: sua percepção de coisas como amor e amizade irá mudar. Lindo, lindo, lindo.

Tenho que dizer, eu sou o Dug. (Se pronuncia Doug, o.k.? HAHA)

O cachorro mais adoravelmente lindo que a imaginação humana poderia conceber. Preciso dizer que chorei muito no diálogo mais marcante do filme? Olha o que o Dug falou logo depois que o Sr. Fredricksen deu um super sermão nele.

Oi, eu me escondi debaixo da sua varanda porque te amo. Posso entrar?

Quando percebi, estava chorando. HAHA. Lindo, não?

Um dos melhores filmes da Pixar, junto com meu amado Wall-E. Recomendo, sem dúvidas. Olha o trailer abaixo!

Chorei, chorei e chorarei, porque, com certeza, irei ver mais umas três vezes!

Etiquetado

Proibida a leitura!

As pessoas deveriam ser terminantemente proibidas de ler. Ao ler, pessoas tornam-se capazes de pensar por si mesmas, além de quererem exigir alguns absurdos que dizem ser direitos.

Quando leem, pessoas começam a conhecer mundos que deveriam permanecer permanentemente trancados sob as páginas amareladas e frágeis de obras velhas. As pessoas começam a refletir! Pessoas, vejam só, meros seres humanos, querendo saber quem são, de onde vêm, para onde vão.

Pessoas não deveriam ler. Pessoas deveriam ser porcos atirados à sua própria lama, que não sabem fazer nada além de curvar-se mediante aqueles que realmente têm o direito de folhear um livro de Dostoiévski ou mesmo de Elizabeth Gilbert.

Pessoas sem ser são fracassadas. Não pode existir coisa pior do que seres humanos pensando que são algo além de um monte de carne e gordura amontoada segundo leis naturais. Acordem, simplesmente trabalhem! Não leiam!

E, além do mais, pessoas que não leem tornam-se incapacitadas de reconhecer uma boa e velha ironia.

Etiquetado

Mundo Frio

 

 

Há membros translúcidos
Séculos tragados
Humanos destroçados
Ideias perdidas
Sonhos quebrados
Guerras interrompidas.

Um passo fora da trincheira
Uma Guerra Fria inicia-se
Robôs vendidos à preço de água
Batalha, batalhe, batalhemos
Coros infernais
Desespero mutualístico
O monte Párnaso está destruído
Tudo tinge-se num cubismo doentio
Picassa, Picasse, Picassemos.

Não há flores, há versos
Não há rifles, há ideias
Não há motivos, há apenas vingança
Não há amor, há apenas cobrança
Aja, seja, escreva
Lute!

Então você acha que estou sozinho?
Trincheiras desmancham-se
Elas existiram?
Perguntas melancólicas
Poemas sem sentido
Amor interrompido
O monte Párnaso está destruído.
Você sabe pelo que está lutando?

 

Poema inspirado na canção Cold War, da talentosíssima Janelle Monáe.

Etiquetado

O Vazio

 
Há, lá dentro, a falta de um suspiro
Um revolver automático nos lençóis
A fronha amassada de um travesseiro.
Faltam ruídos
Sobra ausência de vida.

 Faltam poemas
Remanescem páginas rasgadas
Nesgas de apego
Odor de lágrimas
Caminhos interrompidos
Bisturis abandonados.

 Velam o invelável
Silenciam o insilenciável
Não há sonhos tranquilos
Não há sondagem de piedade
Há, impossivelmente, o sempre contínuo…
Remorso.

 A porta não se mexe
Não há vultos indistintos
Há lágrimas junto à tevê
Há câncer nas paredes em que se vê
Nos espelhos, refletem-se as dores
No silêncio perpetuam-se valores.
Mas ao fundo, distante,
O sol nasce lentamente.

 

 

Etiquetado