Ela dorme…

Ela dorme sob a epígrafe de um parágrafo, sob um copo de sorriso ou um metro e meio de abraço.

Ela dorme, dorme, dorme… E sonha com princesas que jamais lhe alcançarão. O teto é estrelado, o chão, rachado. Mas ela dorme, dorme, dorme.

Não faço poesia enquanto lhe olho. Apenas a sinto. Seu cabelo ondulado esvoaçando levemente ao expirar silencioso de seu nariz arrebitado. E ela dorme, dorme… Dorme sobre meus braços, acalantada por um pouco de lençol com alguns amassos.

E eu a observo, silencioso, com o sol nascendo lentamente. A cortina vazada, a janela transparente como só a alma sabe ser. E ela repousa, calma, silenciosa e perfeitamente. Seu sorriso se desmancha, mas, em algum lugar, ainda está lá. O mundo para e espera por alguns instantes.

Ela dorme, o lençol de algodão circundando a perfeita criação. Há sol preguiçoso, um suspiro vagaroso.

E, lentamente, a poeira esvoaça. Liberta, preguiçosa, ciumenta.

E eu a amo.

Ela acorda.

Olha para mim, sorri.

Eu a amo.

E ela dorme, dorme, dorme…

Anúncios
Etiquetado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: