18

As menores coisas são as que, efetivamente, importam. Quantas vezes ouvimos a mesma coisa, mais e mais vezes, sem sequer darmos importância?

Meus 18 anos são completados, neste 06 de julho tão diferente do anterior. Hoje, não recebi nenhum presente gigantesco. Na verdade, apenas uma trufa, um brigadeiro e um pirulito gigante. E, acreditem, foi a melhor coisa que já ganhei em toda a minha vida.

Meus amigos cantando parabéns duas vezes, um bar parando para cantar comigo e um novo amigo me ensinando lições de humanidade, humildade e respeito. Assim, pouco a pouco, conheço minha própria essência.

Familiares próximos esqueceram desta data tão peculiar. Mas por algum motivo, hoje, não me importo. Nenhum presente gigantesco irrompeu pela caixa do correio, mas neste 6 de julho, conheci amigos de verdade e meu maior desejo, mesmo que tardio, foi que aquela cirurgia absurdamente cara daquela criança desconhecida fosse paga, e por uma razão, ela voltasse a sorrir para aquele amigo que já me toma grande parte do coração.

Não quero montantes de dinheiro, maletas com livros ou parabéns indeléveis. Quero abraços, mas mais no fundo, quero que aquela criança, mais uma vez, seja feliz. E assim, fraco, novamente humilde e triste, que continuo marchando para o desconhecido, buscando uma forma de auxiliar o impossível, de ajudar o inegável e de amar o ódio.

Sou fraco, mas, pouco a pouco, me encontro nesse espírito calmo de 18 anos.

18.

Anúncios
Etiquetado

Um pensamento sobre “18

  1. Inara disse:

    Seja feliz, querido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: